Planalto A impressionante lista de escândalos do governo Dilma em 2011

GOVERNO “PT” DE DILMA EM 2011 – 1) Queda do ministro da Casa Civil, Antonio Palocci (PT) + 2) Obras superfaturadas (Alfredo Nascimento (PR), responsável pela pasta dos Transportes); 3) Língua solta – As farpas soltas pelo ministro da Defesa, Nelson Jobim (PMDB), também foram um episódio marcante do governo Dilma e culminaram com a sua saída do cargo em 4 de agosto; 4) Crise no campo – Após a saída de Jobim, foi a vez de Wagner Rossi (PMDB), ministro da Agricultura, entrar na berlinda. Foi alvo de uma série de acusações de corrupção na Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), incluindo pagamento de propinas em troca de contratos e favorecimento em troca de financiamento de campanha. 
As primeiras acusações partiram de Oscar Jucá Neto, ex-funcionário da Conab, que denunciou; 5) Contas pessoais – Pedro Novais, do Turismo, foi o quinto ministro do governo Dilma a deixar o cargo. Em reportagem da Folha de S. Paulo, foi acusado de pagar com dinheiro público o salário de sua governanta em Brasília por sete anos e empregar um funcionário da Câmara dos Deputados como motorista particular de sua mulher. O ex-ministro já tinha um histórico pouco; 6) Convênios fraudulentos – Após sucessivas denúncias de fraudes em convênios do ministério dos Esportes, Orlando Silva, então responsável pela pasta, deixou o governo em outubro de 2011. Reportagens denunciaram que o ministro teria participação em um esquema de desvio de dinheiro público do Segundo Tempo, um programa do federal destinado a promover o esporte em comunidades carentes; 7) Relações perigosas – O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, foi o sétimo a deixar o cargo antes do fim do primeiro ano do governo Dilma, alvo de uma série de denúncias de irregularidades, dentre elas, o envolvimento em um esquema de cobrança de propina de ONGs e sindicatos.

 

8º)  GOVERNO DO PT – PRESIDENTE DILMA: Planalto
A impressionante lista de escândalos do governo Dilma. Seis meses de gestão foram suficientes para quatro trocas ministeriais; nomes do primeiro time da presidente se envolveram em situações comprometedoras. A paz aparente durou pouco tempo. ALOÍZIO MERCADANTE responsável pela pasta de Ciência e Tecnologia, também ficou exposto por uma revelação feita por VEJA. Foi ele quem ordenou a compra do falso dossiê contra o então candidato tucano ao governo de São Paulo, José Serra, em 2006. O episódio também respingou em Ideli Salvatti: então senadora, ela ajudou a espalhar o material para a imprensa. http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/a-impressionante-lista-de-escandalos-do-governo-dilma

Anúncios