O neopetismo da cidadania e o sentimento de ingratidão

Na Transversal do Tempo

1335381913_647545_1335382284_album_normal

A sensação que dá do discurso ufanista do neopetismo da cidadania, dos benvindos, mafras e quejandos é que há um profundo recalque de não serem aplaudidos em praça pública por nos trazer a fórceps e goela abaixo o desenvolvimento do capital brasileiro, tornando o país um recordista de remoções, de violações de direitos humanos, mas entre as 6 primeiras economias do mundo. Foda-se o IDH, temos Copa! Foda-se o IDH, somos membros do G135!

Ai como não abraçamos eles no cotidiano e há quem ainda ache que precisamos ir além de bons lambedores de botas dos países centrais ou de bons fornecedores de grãos e carne produzidos por sobre sangue índio e negro. Somos alvos de um profundo ódio de quem achava que por serem gerentões qualificados de um capitalismo que não soube ser tocado por tucanos, que pouco entendem de fábrica, deveriam ter bustos nas praças e odes em…

Ver o post original 255 mais palavras