SOU DE MENOR, TUDO POSSO NA QUESTÃO PENAL NO BRASIL? ESTOU LIBERADO PARA ROUBAR E MATAR E/OU SOU ESCUDO DOS MAIORES

Imagem

Salvador (BA), 10 de agosto de 2014.

SR. AÉCIO NEVES

Bom-dia

São várias solicitações que o povo brasileiro solicitou através das manifestações do ano de 2013 e uma delas a mais urgente é a redução da maioridade penal porque estamos em um Brasil selvagem sem ética, mora. Estamos à mercê de bandidos que hoje usam como escudo e se blindam de um menor na quadrilha para assassinar. Assassinatos torpes, estupros e etc.. O que irão fazer com eles eu não sei mas SOLICITO mesmo que o senhor seja contra da REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL. Que se faça um PLEBISCITO com o povo brasileiro que é quem mais pode se expressar através de urnas sobre esta questão. O que vocês farão com os menores eu não sei mas deixe que nós, povo, resolvemos isto por que somos nós que estamos no chão deste país sem segurança pública eficaz e saindo para o trabalho, lazer todos os dias que somos ATACADOS e ASSASSINADOS por brasileiros que acham que SER MENOR é um passe para o crime. Está protegido.

Isto é um absurdo.

Sem considerar que ao longo de seu caminhar como presidente do Brasil, ou mesmo senador que haja uma classificação do tipo de crime penal praticado por menor. Ou seja, motivo torpe e etc..veja classificação clicando o link abaixo. E ter além das digitais um banco de dados de criminosos sexuais do DNA. Todo assassino, estuprador, pedófilo estar em banco de dados tipo o “CODIS” americano que colhe material para classificação do DNA quando o criminoso deixa a prisão ficando em um banco de dados em caso de reincidências e assim poder se aplicado leis penais mais duras.

Claro colher material genético quando o criminoso estiver sendo liberado de sua última pena. E assim facilitando para a ciência forense.

Por mim poderia já neste plebiscito aplicar a lei de prisão perpétua total ou com condições de solicitar revisão do semi aberto após de 25 anos de prisão efetivamente cumprida – liberdade condicionada.

MAS A REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL URGE A SUA APLICAÇÃO NO SISTEMA CRIMINAL JUDICIÁRIO. PERMITA QUE O POVO VOTE O QUE QUER, VISTO QUE O POVO É O ATINGIDO E NÃO OS SENHORES QUE SÃO PROTEGIDOS POR SEGURANÇAS PESSOAIS E DO ESTADO, CARROS BLINDADOS. OUTROS.

COM SUA CANDIDATURA E VITÓRIA CONTAMOS COM ISTO, LOGO EM UM PRIMEIRO MOMENTO DE SUA GESTÃO COMO PRESIDENTE DO BRASIL.

CRISTINA BENEVIDES

 

Bolsa Família: a baixaria não tem limite! Mais uma mentira cai na rede

O LADO ESCURO DA LUA

See on Scoop.itBOCA NO TROMBONE!

A boataria na internet no pra. Agora esto falando que Rui Falco, Presidente do PT, disse que o Bolsa Famlia j deu e ser suspenso em breve. claro que mentira! Veja o que ele disse no artigo da Folha de 24 de novembro do ano passado sobre o Bolsa Famlia: “ampliado pela Presidenta Dilma Rousseff, uma poltica de estado, com crescentes dotaes oramentrias, e que se converteu em matriz de poltica social exitosa e irremovvel”.

See on mudamais.com

Ver o post original

LULA TEM PLANO “B” PARA A DERROTA DA DILMA

From: ramgad1900@gmail.com
To: ramgad1900@gmail.com
Subject: LULA TEM “PLANO B” – Leitura recomendável.
Date: Tue, 6 May 2014 17:18:18 -0300

REPASSANDO

(…a pedido)

 

 LULA TEM PLANO “B”  PARA  A DERROTA DA DILMA

Jorge Oliveira (Jornalista )

Rio – O brasileiro precisa está atento para o que vai acontecer a partir de janeiro de 2015 caso o PT seja derrotado nas eleições deste ano. Com o estado aparelhado, os petistas em represália vão tentar desestabilizar o país porque ainda são o partido mais organizado. Comanda as centrais de trabalhadores e milhares de sindicatos, portanto, têm como liderar greves e incentivar à massa a ir às ruas contra o novo governo. Os petistas não vão dar trégua porque, ressentidos com a derrota, tentarão de todas as formas inviabilizar o sucessor. Além disso, resistirão a abandonar os cargos para não perder os salários milionários sem antes boicotar o serviço público e  paralisar as atividades afins do estado.

É assim que opera o PT. E foi assim que a cúpula do partido agiu nos primeiros anos do governo Collor, quando estimulou a paralisação da máquina estatal,  criou CPIs, quebrou o sigilo fiscal de autoridades do governo, fabricou escândalos e levou às ruas milhares de jovens (os caras pintadas) para derrubar  o primeiro presidente eleito pelo voto direto depois da ditadura.  O PT  não se contentou com a derrota do Lula e organizou suas bases (sindicatos e centrais) para confrontar o novo governo. Criou núcleos de espionagem dentro dos órgãos federais infestados de seus militantes e simpatizantes e em pouco tempo derrubou o Collor, que já estava na corda bamba pelo governo medíocre que fazia com denúncias de corrupção pipocando por todos os lados.

Na oposição a partir de janeiro, caso a Dilma não se reeleja, os petistas vão infernizar a vida de quem assumir o governo. Quatorze anos administrando a máquina pública, eles aparelharam o estado e agora conhecem como funciona a estrutura por dentro. Para desalojá-los do poder, o presidente eleito certamente gastará boa parte do mandato na assepsia das estatais onde os petistas estão infiltrados independente da qualificação profissional.

Lula está acompanhando com lupa a campanha da Dilma. Anunciou inclusive que estará na linha de frente dos trabalhos da reeleição da sua presidente. Acontece, porém, que ele hoje já tem dúvidas quanto ao êxito do sucesso dela e analisa prognósticos desfavoráveis a sua candidata. Por isso começou a trabalhar com outro cenário político: aumentar as bancadas petistas na Câmara e no Senado Federal.

A estratégia consiste em dominar o Congresso Nacional no caso do PT não conseguir reeleger a Dilma. Perde-se, portanto, o governo, mas em compensação ganha-se o  parlamento submetendo o novo presidente às ordens petistas, leia-se lulista. Nos estados onde o PT não desponta como favorito ao governo, Lula tem estimulado uma aliança independente de ideologia para aumentar o número de parlamentares, o que permitiria o partido ter maioria no Senado e na Câmara e indicar os presidentes.

É assim que o ex-presidente quer permanecer soberano na política. Lula sabe que a Dilma estaria definitivamente fora da política se perder a reeleição porque não teria condição de se eleger nem a síndico de prédio.  A dificuldade dela de se manter na política deve-se a sua falta de base eleitoral em Minas Gerais e no Rio Grande do Sul os dois estados que abraçou para viver. Lula sabe também por experiência própria que num regime presidencialista como o nosso, manter a presidência das duas Casas é dominar o destino político do país como fazem alguns partidos, a exemplo do PMDB de Sarney, de  Renan e Michel que mantêm o Executivo sob seu jugo.

Não à toa, Lula não demonstra nenhum apetite para ocupar o lugar da Dilma. Conhece como  ninguém a incompetência da sua presidente para administrar o país e do fracasso que ronda o setor econômico em 2014. Assim, previne-se ao entregar os anéis para preservar os dedos: quer a Câmara e o Senado  para transformar o Executivo refém do seu partido, no caso de uma reeleição frustrada da Dilma.

FIQUE ATENTO PORQUE CAVALO NÃO DESCE ESCADA.
SE CONCORDAR, REPASSE PARA SEUS CONTATOS.

Vídeo

“Preconceito contra Bolsa Família é fruto da imensa cultura do desprezo”, diz pesquisadora

Demografia Unicamp

22.outubro.2013

Com Isadora Peron

O Programa Bolsa Família fez 10 anos no domingo, dia 20. Quando foi lançado, no primeiro mandato de Luiz Inácio Lula da Silva, atendia 3,6 milhões de famílias, com cerca de R$ 74 mensais, em média. Hoje se estende a 13,8 milhões de famílias e o valor médio do benefício é de R$ 152. No conjunto, beneficia cerca de 50 milhões de brasileiros e é considerado barato por especialistas: custa menos de 0,5% do PIB.

Para avaliar os impactos desse programa a socióloga Walquiria Leão Rego e o filósofo italiano Alessandro Pinzani realizaram um exaustivo trabalho de pesquisa, que se estendeu de 2006 a 2011. Ouviram mais de 150 mulheres beneficiadas pelo programa, localizadas em lugares remotos e frequentemente esquecidos, como o Vale do Jequitinhonha, no interior de Minas.

O resultado da pesquisa está no livro Vozes do Bolsa Família, lançado há pouco. Segundo as conclusões de…

Ver o post original 938 mais palavras